Propostas na área apresentadas durante Agenda Parlamentar começam a ser desenvolvidas em alguns dos 31 municípios participantes

Revista CREA-PR | 61 | fevereiro-março/2010

A acessibilidade foi um dos temas prioritários da Agenda Parlamentar, uma iniciativa do CREA-PR, realizada em 2009, com parceria de entidades de classe das áreas da Engenharia, Arquitetura, Agronomia e Geociências. Em quase todos os 31 municípios onde a agenda foi realizada, foram apresentadas propostas para a acessibilidade. Em alguns, como Guarapuava e Marechal Cândido Rondon, em breve estes projetos se tornaram realidade.

A discussão de projetos de acessibilidade durante a Agenda Parlamentar é bem vista pelos presidentes de associações dos municípios. “É o momento para aproveitar a capacidade técnica que os profissionais têm e que dificilmente conseguiríamos agregar em um órgão público. Assim, as decisões são bem embasadas e eficientes, e menos políticas”, diz o presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Marechal Cândido Rondon, arquiteto Ricardo Leites.

Essa é a mesma opinião da presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos do Noroeste do Paraná, engenheira civil Felomena Sandri. “Sentimos que nem sempre os gestores querem os técnicos nestas decisões. Mas, quando isso acontece, os projetos são realizados com fundamento”, afirma Sandri.

Para o diretor de Valorização e Ética Profissional da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Guarapuava (AEAG), Flávio Alexandre, a população é a maior beneficiada com os projetos acessibilidade com qualidade técnica. “Acessibilidade nas vias centrais e, especialmente, em prédios públicos, é fundamental para a garantia do direito do cidadão de se locomover com um mínimo de dignidade.”

Guarapuava e Marechal Cândido Rondon em ação
Em Guarapuava, a primeira determinação tem a ver com os novos empreendimentos, que devem apresentar planos de acessibilidade. Além disso, algumas obras de adaptações já estão em andamento desde o ano passado. A principal avenida da cidade, a Rua XV de Novembro, passa por uma grande obra de revitalização, que envolve a manutenção da arborização urbana e dos passeios, e colocação de pisos táteis. Os comerciantes também se envolveram no projeto e perceberam os resultados. Com o investimento nas adequações, as vendas aumentaram cerca de 30%, de acordo com o presidente da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Guarapuava, eng. agrônomo José Roberto Papi.

A região central de Marechal Cândido Rondon também recebe os primeiros investimentos. São obras para o rebaixamento das esquinas, melhoria da iluminação pública e adequação aos acessos a prédios públicos, como o da Câmara de Vereadores. “Ainda precisamos estender estes projetos a outras áreas da cidade. Já temos mudanças, mas perto do que precisa, ainda temos muito trabalho pela frente”, afirma o presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Marechal Cândido Rondon, arquiteto Ricardo Leites.