Encontros para afinar o discurso e sugerir propostas irão acontecer até maio

Revista CREA-PR | 61 | fevereiro-março/2010

No VII Congresso Estadual de Profissionais (CEP), profissionais da área tecnológica de todo o Paraná irão discutir os desafios, as oportunidades e o futuro do sistema profissional. O congresso acontecerá em Foz do Iguaçu, entre os dias 26 e 28 de maio, e deve reunir mais de 350 pessoas. Antes do CEP, encontros nas sete regionais do CREA-PR e de inspetores irão mobilizar cerca de 5 mil profissionais. “Vamos levar as questões que discutimos no dia a dia e que podem ser alteradas com a participação de todos”, explica o coordenador da Comissão Organizadora Estadual (COE), engenheiro civil Joel Krüger, conselheiro do CREA-PR.

O congresso estadual vai reunir as deliberações das etapas anteriores e definir 26 propostas relacionadas ao tema “Construindo uma agenda para o sistema profissional: desafios, oportunidades e visão de futuro”, que abrange cinco eixos referenciais para os debates: formação, exercício, organização, integração e inserção profissional.

As propostas paranaenses serão levadas por 18 delegados ao VII Congresso Nacional de Profissionais (CNP), que terá duas etapas. A primeira em Cuiabá (MT), entre os dias 24 e 27 de agosto, e a segunda, de 24 a 26 de novembro, em Brasília (DF). “É muito importante apresentar propostas. O que for deliberado será implementado, as alterações sugeridas serão feitas e também serão realizadas ações para as mudanças que forem externas ao sistema. É fundamental, não só para os profissionais, mas para toda a população”, garante Krüger.

Em debate, desafios, tendências e sustentabilidade
As discussões do Congresso Estadual de Profissionais serão direcionadas para o papel dos profissionais da Engenharia, Arquitetura, Agronomia e Geociências no desenvolvimento do País. “O Brasil está em um patamar de desenvolvimento bastante promissor. Muitas mudanças serão necessárias para garantir a infraestrutura e os profissionais têm papel fundamental”, explica o coordenador da COE.

Os participantes irão debater sobre os desafios, a sustentabilidade e a formação para lidar com esta nova realidade. “Como vamos organizar o sistema em relação a estes desafios? Temos que nos preparar e nos adaptar a esta situação, que já ocorre no presente, com constante formação. Precisamos atender à demanda. Nosso desafio agora é grande e diferente dos últimos 20, 30 anos”, afirma.

Além dos eixos referenciais, 13 objetivos estratégicos do sistema profissional irão nortear as discussões do congresso. Entre eles estão o apoio à educação continuada, discussões sobre desenvolvimento sustentável, gestão na organização dos sistemas e ainda estratégias de comunicação e marketing.

Participação dos profissionais é essencial
A participação nos debates dos congressos e encontros regionais garante que propostas de melhorias ao sistema sejam aplicadas. Resoluções definidas em edições anteriores do congresso já se tornaram realidade.

Em 2001, o Congresso Nacional também realizado em Foz do Iguaçu teve como tema central a “Ética profissional”. Como consequência, foi criado o novo código de ética da categoria. Cada uma das propostas aprovadas nos encontros nacionais fica disponível aos profissionais juntamente com os encaminhamentos realizados.

Krüger orienta os profissionais a verificar o andamento das propostas, para não criar falsas expectativas em relação ao congresso e possibilitar a apresentação de novas sugestões.

Textos referenciais enriquecem debate para o VII Congresso Estadual de Profissionais
O VII Congresso Estadual de Profissionais discutirá o tema “Construindo uma Agenda Estratégica para o Sistema Profissional: desafios, oportunidades e visão de futuro”. Para auxiliar as discussões, a Comissão Organizadora Nacional do VII CNP, com apoio das 27 Comissões Estaduais, procura enriquecer o debate disponibilizando textos referenciais motivadores.

No site do CONFEA, link VII CNP, estão disponíveis 12 textos para consulta dos profissionais. Os textos seguiram a metodologia de discussão dos Eixos Referenciais da Formulação Estratégica do Sistema Profissional (formação profissional, exercício profissional, organização do sistema, integração profissional e inserção internacional) e os desdobramentos destes eixos nos 13 Objetivos Estratégicos estabelecidos em 2009. Os 13 objetivos também podem ser consultados no site do CONFEA e do CREA-PR.

Entre os textos, dois foram escritos por profissionais ligados ao CREA-PR: O texto “Subsídios para o Planejamento da Fiscalização do Exercício das Profissões do Sistema CONFEA/CREA”, de autoria do superintendente do Conselho, engenheiro agrônomo Celso Roberto Ritter, e “O Fortalecimento das Organizações Profissionais Integrantes do Sistema CONFEA/CREA – A Experiência do Paraná”, de autoria do gestor da Assessoria de Apoio às Entidades de Classe – CREA-PR, administrador de empresas, Claudemir Marcos Prattes.