Cidade ocupa posição de destaque em índice que avalia desenvolvimento

Revista CREA-PR | 62 | março-abril/2010 | Foto: Divulgação

Com 6.853 habitantes, em 420 quilômetros quadrados, Douradina é uma pequena cidade no noroeste do Paraná. Com apenas 27 anos de existência, o município ocupa uma posição de destaque na faixa de alto desenvolvimento entre as cidades paranaenses, de acordo com o levantamento realizado pela Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro).

O estudo avalia o índice de desenvolvimento dos municípios brasileiros com base em emprego, renda, saúde e educação.

Em Douradina, os índices analisados são prioridades. A cidade tem duas escolas municipais e um centro de educação infantil com quase 800 alunos matriculados. E são totalmente equipadas. Contam com ar-condicionado, computadores, internet e serviço informatizado.

Os estudantes participam de diversos projetos culturais, como o Jornal Educação e mostras literárias, que envolvem todo o município.

Douradina tem, ainda, um centro e dois pontos de saúde, que atendem moradores dos distritos Jardim do Ivaí e Vila Formosa. Os idosos e as gestantes recebem atendimento especial, em projetos que combatem o sedentarismo e de acompanhamento durante toda a gestação.

A economia do município é baseada na indústria moveleira, com destaque para a atuação da empresa de móveis Gazin, responsável pela geração de aproximadamente mil empregos em Douradina. Na agropecuária, a criação de gado, produção de soja, milho e cana-de-açúcar são as principais culturas.

Prefeito e técnico em Agronomia fala sobre as prioridades do município

Qual a razão da escolha de educação, saúde e geração de empregos como prioridades no município?
José Carlos Pedroso: Eu acredito que olhar pra frente é investir em saúde e educação. Uma população com uma boa educação é um bem para toda a vida. Temos um município pequeno, mas com estrutura de uma cidade grande. Oferecemos toda a infraestrutura nas escolas, unidades de saúde e transporte.

Quais são os outros setores de destaque em Douradina?
José Carlos Pedroso: A agropecuária é forte aqui. Mas também a indústria e o comércio, que geram bastante emprego. Na indústria, mais destaque para os móveis e colchões. Temos aqui a empresa a Gazin, que emprega mais de 1.300 douradinenses. Prezamos por esta parceria entre empresários, comerciantes e prefeitura.

Quais benefícios esta parceria traz ao município?
José Carlos Pedroso: É o poder público ao lado dos empresários e comerciantes. Transmitimos confiança a eles e eles acreditam no município. Acredito muito no auxílio, no companheirismo sem politicagem. Em prol do município. Quando os empresários e comerciantes acreditam no município, investem e geram empregos para a população.

Os números
Um pouco mais sobre Douradina
Estimativa da população douradinense (IBGE 2009): 6.853
Área: 420 km2
Arrecadação mensal: R$970.000,00
Investimento na infra-estrutura: R$150.000,00
Principais Produtos Agrosilvopastoris: Bovinos, pastagens, forragens e algodão
Indústria dominante: Mobiliário, produtos alimentares, vestuário, calçados e tecidos
Participação no PIB Municipal:
Agropecuária: 26,28 %
Indústria: 1,70 %
Serviços: 72,02 %
Produto Interno Bruto: US$ 10.113.720,68
PIB per capita: US$ 1.627,83
Fonte: IBGE, Governo do Estado do Paraná e Prefeitura de Douradina

História da cidade e como surgiu o nome
O primeiro colonizador da região de Douradina foi Antônio Lustosa de Freitas, que chegou com sua família e 22 peões em 1952. O município foi fundado em 17 de janeiro de 1979, mas apenas no dia 1º de fevereiro de 1983 foi emancipado politicamente da cidade de Maria Helena, por meio da Lei Estadual n.º 7.107. O nome Douradina surgiu em função da Serra dos Dourados, mas antes da definição optou-se também pelo nome Douradinha. A cidade tem muitas tradições. Uma delas é a festa mais tradicional: Festa do Peão de Boiadeiro de Douradina (Fepeina), que faz parte das comemorações do aniversário do município. São realizados rodeios profissionais, concurso de rainha e princesas do evento e shows de música sertaneja.