Famílias de Paranaguá abrem as portas de suas residências e recebem turistas como hóspedes

Gazeta do Povo | 24 de junho de 2011 | Foto: Daniel Castellano / Gazeta do Povo

Turistas que, mesmo longe de casa, procuram por um ambiente acolhedor para se hospedar encontram, em Paranaguá, a oportunidade de conhecer um novo tipo de acomodação. Incentivados pela Fundação Municipal de Turismo (Fumtur) e pelo Moto Clube Robalos Rebeldes, alguns moradores da cidade estão abrindo as portas de suas casas para hospedar visitantes.

Realizado desde o ano passado, o programa Hospedagem Familiar foi criado para atender à alta demanda por hotelaria durante o Paranaguamotos – Encontro Nacional de Motociclistas, que ocorre no mês de agosto. Nas últimas edições do evento, os cerca de 1,2 mil leitos disponíveis na cidade não foram suficientes para acomodar todos os participantes, que chegaram a dormir em barracas montadas nas praças.

Inédito no litoral paranaense, o programa é baseado em experiências que já acontecem na Europa. Ao invés de apenas se instalar em um hotel, o turista é recebido pelo anfitrião, que cuida pessoalmente de todas as suas necessidades, durante a estada na cidade. Os valores das diárias são equivalentes a hospedagens convencionais, em estabelecimentos de categoria semelhante. “A diferença é que não se presta somente o serviço, mas oferece-se um ambiente que é familiar e que favorece a troca de cultura”, destaca a coordenadora do programa, Dayanny Pires de Oliveira. O turista escolhe a residência onde deseja se hospedar pelo site da fundação e paga 50% do valor da diária para efetuar a reserva.

Vagas
As famílias interessadas em receber turistas passam por uma seleção, que avalia a localização e a estrutura das residências. Os moradores também recebem orientações sobre como receber bem os hóspedes e indicar os pontos turísticos da cidade. Assim como os hotéis, as residências são classificadas nas categorias econômica, turística e superior.

Na primeira edição, o programa teve 20 casas inscritas, mas apenas duas ficaram disponíveis devido à estrutura que oferecem. Para este ano, a expectativa é contar com novas famílias anfitriãs. A mobilização dos interessados já começou.

A hospedagem familiar funciona o ano inteiro, com possibilidade de acomodar visitantes durante as festas da Tainha e das Nações, que ocorrem nos próximos meses. O programa foi premiado pelo Ministério do Turismo como uma das melhores práticas entre os 65 municípios indutores do desenvolvimento turístico, que tem foco em investimentos nos padrões de qualidade na recepção de viajantes. Os primeiros resultados também animaram os integrantes da Fumtur, que já têm planos futuros para o programa. “Pensamos na hospedagem familiar como uma opção para a Copa do Mundo de 2014”, revela Dayanny.

Serviço:
Mais informações sobre o programa Hospedagem Familiar estão disponíveis no site www.fumtur.com.br

Casa de família com café, internet e academia
A participação da empresária Cassia Lisboa Pereira, 46 anos, no programa de hospedagem familiar aconteceu de uma forma inesperada. Dona de uma loja, ela não tinha ideia de como receber turistas em casa. A oportunidade surgiu a partir da mobilização da Fundação Municipal de Turismo (Fumtur) com os moradores de Paranaguá.

De olho na fonte de renda extra, a empresária fez pequenos reparos na estrutura, além de comprar móveis e roupas de cama, investimento que chegou a R$ 1,2 mil. Com a casa adaptada, ela recebeu dez pessoas durante o encontro nacional de motociclistas, que ocuparam quatro dos cinco quartos da residência. “Acolher as pessoas na sua família é um compromisso muito sério. Temos que atender a todos sem colocar funcionários para prestar o serviço, senão descaracteriza o programa. Por isso foi bem puxado”, conta. Classificada na categoria superior, a casa de Cassia dispõe de TV a cabo, internet sem fio e café da manhã completo. Ela, o marido e o filho adolescente deram conta de todo o trabalho.

Os lucros obtidos com a hospedagem ainda não cobriram os investimentos, mas a empresária garante que fez novos amigos com a experiência. “Ficamos em um clima família. Foi muito divertido.” O grupo mantém contato frequente e alguns turistas já fizeram reservas na casa de Cassia para a festa deste ano.

Para o hóspede Divo Vidal, que mora em Palmeira (PR), o diferencial da hospedagem familiar é se sentir em casa. “Tudo é muito confortável”, afirma. Ele esteve em Paranaguá no ano passado e pretende utilizar mais as hospedarias familiares.

Prevendo mais movimento, a empresária prepara novas melhorias na casa. Já montou uma academia de ginástica e ainda pretende atender à principal reivindicação dos apaixonados por motocicletas: construir uma cobertura para abrigar os veículos.

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/litoral/conteudo.phtml?tl=1&id=1139689&tit=Entre-e-fique-a-vontade