Folha de Londrina | 21 de maio de 2009

O Paraná arrecadou 30 toneladas de doações aos estados da região Norte e Nordeste que sofrem com o excesso de chuvas. Ao todo, 407 municípios de 13 estados passam por dificuldades. O último levantamento da Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec) aponta 45 mortes e 377.850 pessoas desalojadas ou desabrigadas.

A arrecadação para esses estados é quase 67 vezes menor que o entregue a Santa Catarina. Os deslizamentos e alagamentos no ano passado mobilizaram duas mil toneladas de doações feitas por paranaenses. Na ocasião, de acordo com a Sedec, 10 municípios foram atingidos, 3.550 pessoas ficaram desalojadas ou desabrigadas e 135 morreram.

Na avaliação do chefe da Seção Operacional da coordenação estadual Defesa Civil no Paraná, tenente Eduardo Gomes Pinheiro, a distância entre doador e a área necessitada é um dos fatores responsáveis pelas poucas doações paranaenses. “A solidariedade é inversamente proporcional à distância. O noticiário (sobre os problemas) não chega aqui com tanta frequência”, afirma o tenente. Ele também acredita que a arrecadação recorde conseguida em 2008 dificilmente seria repetida em tão pouco tempo.

Casos de desvio de donativos, como o registrado esta semana em Rio Negrinho, onde roupas encaminhadas às vítimas das enchentes no ano passado eram vendidas por R$ 1,00 por um empresário que já foi detido, também inibem as doações. A orientação do tenente é que a prática seja feita junto ao sistema de Defesa Civil, que encaminha os donativos às defesas civis dos estados. Cada estado gerencia as entregas nas localidades necessitadas.

Os donativos paranaenses ainda não foram enviados aos estados afetados pelas chuvas. A quantidade arrecadada é inferior ao necessário para embarcar nos aviões da Força Aérea Brasileira. Roupas, alimentos e artigos de higiene podem ser entregues em qualquer unidade do Corpo de Bombeiros ou na sede da Provopar, na Rua Doutor Murici, 950, centro de Curitiba.