Curso tenta desfazer a ideia de que chefes de cozinha só elaboram pratos difíceis

Folha de Londrina | 7 de abril de 2009

Ser chefe de cozinha parece um dom de poucos. No Mercado Municipal de Curitiba, qualquer pessoa interessada na área pode aprimorar seus dons culinários com a ajuda de renomados chefes de cozinha. Todos os sábados, um cardápio especial é preparado em uma aula-show, em que os chefes ensinam como elaborar pratos da alta culinária de maneira simples e acessível aos participantes.

A iniciativa, que começou no final de março, pretende aproximar os interessados em culinária da prática da alta gastronomia e estimular que ela seja aplicada em casa. ”O objetivo é desmistificar a figura do chefe que só faz comida difícil, que não pode ser feita em casa”, explica o coordenador do projeto, Vinícius França. ”Os participantes interagem mais na cozinha, têm descontração. É diferente de um programa de TV, pois as pessoas vão degustar e fazer em casa” complementa a chefe Sônia Carlindo, que atua na gastronomia há 25 anos e é integrante da Federação Italiana de Cozinha (FIC).

Sônia garante que, ao contrário do que muitos pensam, qualquer pessoa pode se tornar um chefe de cozinha. ”Qualquer um pode ser um mestre cuca, desde que tenha bom senso, muito amor e muita paixão. Não é todo mundo que aguenta uma temperatura que chega a 60 graus na cozinha e ficar de 12 a 14 horas em pé”, conta a chefe, que veio de São Paulo para ministrar a aula de preparação do prato ”Papardelle com rag— de mignon orgânico”.

Regina Baldassari, 48, é prova de que a alta gastronomia é acessível a todos. Enfermeira durante 14 anos, largou a profissão da área da saúde para se dedicar a uma prática pela qual é apaixonada há muito tempo. Estudante de gastronomia e doceira, com emprego garantido em um restaurante, a futura chefe participou, no último sábado, da aula de Sônia. ”Para quem é leigo, é fácil de entender. Dá para aprender coisas novas e levar para onde está”, afirma, garantindo que pretende participar de todas as aulas.

O estudante de culinária Vilmar de Carli, 29, também aproveitou a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos. Para ele, o projeto ”(A aula) Nos coloca em contato com uma culinária diferente, pois, dificilmente, temos a possibilidade de participar de alguma coisa”, afirma. Ele foi acompanhado pela amiga Ruth Fernandes, 32, que é mosaicista. ”Aprendi coisas bem interessantes para fazer um jantar mais elaborado. Mas, achei que a divulgação foi pouca”, diz.

Os ingredientes usados nas aulas são comercializados no recém-inaugurado Mercado Municipal de Orgânicos de Curitiba e cedidos pelos empresários do espaço. Os chefes são convidados por parceiros da Secretaria Municipal de Abastecimento: a revista Capital Gourmet e a escola Centro Europeu. A iniciativa também conta com colaboradores da área de equipamentos para cozinha.

O projeto caiu no gosto dos participantes. Algumas das próximas aulas já estão lotadas e com fila de espera. São perto de 30 vagas por aula. O coordenador do programa orienta os interessados a fazer as inscrições com antecedência. Para participar, os futuros cozinheiros precisam, apenas, fazer a inscrição e não é exigida experiência anterior na área.

Serviço:
As inscrições para as aulas de alta gastronomia no Mercado Municipal de Orgânicos são gratuitas e podem ser feitas pelo telefone (41) 3022-1049. Os encontros são realizados aos sábados, a partir das 11 horas, no Espaço Maurício Burmester.